segunda-feira, 28 de maio de 2012

expectativa de vida


Ontem, meus avós maternos comemoraram 62 anos de casados.
Comemoraram sete filhos, quatorze netos, sete bisnetos.
Comemoraram muitas festas, muitas risadas, muitas conquistas.

Comemoraram a vitória que (também) é passar por dificuldades, e vencê-las, juntos.
Comemoraram, enfim, toda sorte de momentos e de histórias vividas ao longo de 62 anos.

Existe uma corrente de pensamento, ancorada na realidade dos fatos do presente, que diz não serem mais os casamentos feitos para durar para sempre. Como diz meu avô, "contra fatos não há argumentos", e não posso negar o que se mostra real em quase tudo que me cerca.
Mas é a exceção que confirma a regra, não é? Acredito em casamentos para a vida inteira. Felizes - a despeito das dificuldades - por toda a vida. Assim como o dos meus avós, dos meus pais, e dos pais do meu noivo.
Hoje, minha expectativa de vida é ser mais uma feliz exceção, é ser mais um fato sem contraargumentação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário