quinta-feira, 14 de junho de 2012

amor e mais

“…Que o sorriso de um seja, para o outro, festa, fartura, mel, peixe assado no fogo, coco maduro na praia, onda salgada do mar… Que as palavras do outro sejam tecido branco, vestido transparente de alegria, a ser despido por sutil encantamento. E que no final das contas e no começo dos contos, em nome do nome não dito, bem-dito, em nome de todos os nomes ausentes e nostalgias presentes, de ágape e filia, amizade e amor, em nome do nome sagrado, do pão partido e do vinho bebido, sejam felizes os dois, hoje amanhã e depois…” - Rubem Alves.




“O amor é ingrediente básico, é o começo e a essência de tudo. Mas quem mantém o relacionamento feliz e saudável é a razão.
É com a razão que você reconhece que o outro teve uma criação diferente da sua; teve distintas experiências na vida; tem gostos diferentes do seu; precisa de um espaço só pra ele; quer que você respeite e se adapte aos costumes da família dele. Reconhece, também, que cada um tem que ter um hobby; sair sozinho com os amigos; ter sua privacidade; ter autoconfiança; ter confiança no outro; se cuidar para manter a aparência; e ajudar nas tarefas domésticas.

Além disso, a razão te faz ver que sem algumas coisas em comum o relacionamento dificilmente perpetuará por longos anos: o casal precisa ter objetivos de vida e valores parecidos para dar certo; além disso, deve haver uma boa química (daquelas de tirar o fôlego) para fazer o relacionamento ser algo mais que uma amizade.

(...)

Queira ser feliz, não queira ter razão. O amor não é um jogo, não há vencedor nem perdedor, no verdadeiro amor se chega a um consenso”. - Dea


É maravilhoso sentir o amor. Mas, quando a gente quer firmar um compromisso com ele, é recomendável também pensar a respeito.
Lendo, pensando e compartilhando dois textos que encontrei aqui e aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário