quinta-feira, 7 de junho de 2012

bem que ela me avisou

Na semana passada, saí com uma amiga de infância para contar sobre o noivado, os sonhos, os planos. Como ela se casou no final de 2011, tinha mil e uma dicas para dar (vou ter de anotar da próxima, que uma garrafa de saquê mais três de cerveja não formam um conjunto muito bom para a memória) e mais um monte de experiências a compartilhar. Foi um encontro muito carinhoso. <3
De tudo que eu não lembro, ficaram algumas frases:
- Você vai se aproximar muito da sua mãe, e vai ser ótimo;
- Você vai emagrecer um monte, sem fazer esforço (amém!);
- Você vai ficar a flor da pele e chorar por tudo;
- Você vai se surpreender com o carinho que algumas pessoas sentem por você, especialmente aqueles que conheceu na infância;
- Entre muito lentamente na cerimônia, olhe nos olhos do seu marido e escute seu pai;
- A cerimônia é sua e a festa é de todos; aproveite bem o primeiro.

E este post, na verdade, é sobre o tal do chorar por tudo, que já começou.
Não é que estou aqui, no trabalho, em pleno feriado, e ao escutar um colega dar os parabéns por telefone para sua mãe começo a chorar? Era uma frase tão simples: "muitos anos de vida!, que você esteja sempre por perto para ver os meninos crescerem".
Aí, já estou chorando de novo...

* * *

"A amizade é um amor que nunca morre" - Mario Quintana.

* * *

Obrigada, amigas lindas, por compartilhar, pelo carinho e pelas mensagens.


Nenhum comentário:

Postar um comentário