sexta-feira, 31 de agosto de 2012

cada um no seu quadrado

Nos últimos dois meses fui a quatro casamentos. (meu) Recorde mundial.
E por mais que a festa traga muitas repetições, nenhuma das celebrações foi igual a outra. Claro! E amém!
Sabe o que deu para perceber? Quando há carinho e atenção (e acredito que sempre há), o casamento é exatamente a cara da noiva.
Na ordem:


RENATA & EVERTON: Tradicional e Familiar.



Falar que um casamento é familiar quando se trata de alguém da sua própria família é, no mínimo, perigoso. Acontece que eu conheço a noiva desde que eu nasci, fazer o quê? E ela sempre foi de todas as primas a mais família, a que mais sonhava em casar e ter filhos, a que mais ansiava por tradição e família. Resultado: uma festa com tudo isso.
Cerimônia: religiosa.
Vestido e acessórios: tomara-que-caia, saia bolo, cauda e véu bem longos, buquê vermelho.
Padrinhos: 100% família.
Efeitos especiais e brincadeiras: todos os da lista.
Convidados: família de todo o Brasil e amigos da família.
Os noivos estavam radiantes. Cada um dos momentos - as entradas na nave, a cerimônia das espadas, o banho de mangueira, as fotos com os pais, avós e padrinhos, o abrir da pista, o jogar do buquê, enfim, tudo - foi vivido com muito carinho. E, escrevendo aqui, meu peito se enche de alegria pela minha prima como se fosse no dia.


CAROL & GUSTAVO: Simples e Alegre.



A Carol é amiga há uma era. Lá dos tempos de descontroladas... Então eu esperava uma coisa simples, sem erro, carinhosa e plena de Chiclete com Banana. Foi exatamente assim (a parte que eu lembro, uahahaha).
Cerimônia: na lindíssima Igreja Dom Bosco, com o melhor celebrante que eu já ouvi.
Vestido e acessórios: amei com força o sorriso (sorriso de noiva escancarado dá uma paz aos convidados, sabia?), o cabelo e o buquê.
Padrinhos: família e amigos há tempos - a Carol tem este dom de manter os amigos.
Decoração: poucas flores na igreja, que não precisa de muito mesmo; e muitos espelhos nas mesas = curti!
Convidados: várias rodinhas, de várias épocas; quase ninguém parou nas mesas porque a pista estava super atraente.
Música: axé com direito a telão (eu jurei que era um trio elétrico e quase dei com a cara na parede).
Os noivos não demoraram muito a aparecer e cumprimentaram a maior parte da festa na pista de dança, o que eu achei muito legal. O sorriso da Carol não saiu do rosto durante todo o tempo que ela teve o carinho de trocar umas palavrinhas com cada pessoa. O noivo, que eu conheço pouco, também estava esbanjando simpatia e alegria. Fundamental esta energia!
Meu nome estava na barra do vestido e acho que funcionou: casarei exatamente um ano depois!


LUANA & RAFAEL: Belo e Pessoal.





A Luana e o Rafael vou te falar, viu? Estou pra ver casal mais lindo. Lindos individualmente e juntos. Lindos por fora e por dentro. Lindos para si e com os outros. Coisa boa de se ver. O que refletiu muito na festa.
Cenário: Praia de Cumbuco, brisa do mar, kytes no céu, coqueiros, pôr-do-sol... aiai.
Cerimônia: foi bem legal perceber que o padre conhecia o casal; só não barrou a madrinha que chorava em bicas de emoção = amei!
Vestido e acessórios: como de costume, lá veio Luana com um modelo clássico de corte impecável. As flores naturais do cabelo combinando com o buquê. Pouquíssima maquiagem, porque ela não precisa de muito mesmo. Quanta boniteza!
Decoração: embora não precisasse de muito (reler cenário), estava tudo no maior capricho e carinho. Detalhes e cores (dá um look na montagem da última foto) que fizeram toda a diferença. Sem falar na papelaria do Chá-das-Duas, que sempre dá um toque especial.
Música: dj eclético e bom no mesmo pacote = a pixxxxta pira! Mais um destaque para a tal madrinha que, depois de lavar os olhos, arrebentou na animação.
Sabe o que mais me chamou a atenção neste casório? A conexão entre todas as pessoas. Não sei se porque os noivos estavam transbordando êxtase, ou se porque o número de convidados era reduzido, ou se porque estávamos numa praia paradisíaca... mas meu maior palpite é que só apareceu quem gostava muito mesmo do casal, daí é certa a positive vibration all night long. Delícia!


LARI & PEPE: Clássico e Íntimo.





Neste caso, o convidado da festa era o Caju. Portanto, não tenho muito a dizer sobre a personalidade dos noivos. Posso falar apenas do que vi e senti naquele momento.
Lugar e Buffet: o tal do PatuAnu é phyno, viu? Pena que pequeno para os nossos planos.
Cerimônia: não sei (convidada, dê-se ao trabalho de pensar no look com uma certa antecedência, especialmente se você for libriana) e ainda estou arrasada com isso.
Mesa de licor com explicação: boa idéia!
Primeira dança dos noivos: tem de ter!
Era uma festa familiar e eu aprontando na pista de dança. Aí, que vergonha! Deve ser por isso que acabou minha odisséia casamenteira do ano.

* * *

Festa muito legal esta tal de casamento!!!

Um comentário:

  1. Yeahhh! Muito legal ver o casamento com olhos de uma (mega especial) convidada. Realmente, a vibe do momento foi tão forte que está perdurando ao meu redor (ou será que sou eu que não quero largar mão daquele momento?) Foi demais mesmo: mas os amigos (einafeanos então...) fazem toda a diferença num casório. Obrigada por estar lá! (Aguardamos com friozinho na barriga as cenas do próximo casamento...) Beijokas!

    ResponderExcluir