quarta-feira, 19 de setembro de 2012

antiquada



Ontem, meus avós, meus pais, eu e meu amor fomos os últimos a deixar o aniversário de uma queridíssima prima. Além da consideração e do carinho imensos que tenho por ela, fato é que, quando sento perto dos meus avós, não tenho vontade de ir embora nunca. É muito aprendizado para disperdisar por coisas fúteis como "está tarde", "estou cansada", "amanhã trabalho" ou "hoje é terça-feira".
Meus avós, com mais de sessenta anos de casados, ainda cuidam com total zelo e devoção um do outro.
Meus avós, com mais de sessenta anos de casados, ainda cuidam dos filhos e dos netos juntos.
Meus avós, com mais de sessenta anos de casados, ainda se divertem juntos.
Meus avós, com mais de sessenta anos de casados, ainda fazem carinho um no outro.
Meus avós, com mais de sessenta anos de casados, ainda preservam a alegria de querer e viver um amor para a vida inteira.
E eu quero aprender como se faz tudo isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário